Empreendedorismo feminino e Covid 19. Saiba como profissionais da imagem renasceram durante a pandemia

Por Juliane Nascimento e Jordan Navegantes

Ir ao shopping; fazer compras; encontrar com os amigos, sair para fotografar. Tudo isso era bem comum, mas, na pandemia pelo novo coronavírus, ficar em casa foi o melhor caminho. Com isso, muitos estabelecimentos fecharam e o empreendedor teve que buscar meios para se reinventar.

No trimestre encerrado em julho, a taxa de desemprego no Brasil subiu para o recorde de 3,8% com um fechamento de 7,2 milhões de postos de trabalho em apenas 3 meses, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Raíssa Lisboa tem 24 anos. Ela é jornalista e fotógrafa paraense. Antes da pandemia, segundo Raíssa, sua agenda de trabalho era lotada. No entanto, para fugir da crise durante o isolamento social, Raíssa buscou um novo meio de produzir e continuar seu trabalho fazendo ensaios virtuais. Suas produções passaram a ser feitas por vídeo-chamadas via WhatsApp, sem deixar de usar as técnicas da fotografia, é claro. “Virou uma terapia, não só para mim, como paras pessoas que estavam sendo fotografadas”, afirma a fotógrafa.

Imagem 01: Raíssa em entrevista realizada em 28/10/2020, na Casa das 11 janelas, Belém.

Fotografia: Juliane Nascimento.

“Reinvenção” foi a palavra-chave não só para Raíssa, como também para a empresária Amanda Alves. Durante o período de lockdown, ela precisou fechar sua loja e levar sua mercadoria para casa, mantendo apenas a loja virtual e fazendo entregas via delivery. As vendas aumentaram e, após esse período, Amanda aumentou a franquia, reabriu a primeira loja e inaugurou a sua segunda loja física. “Eu vi que eu precisava reagir e não podia desistir do meu sonho, até porque eu tenho muito amor pelo meu negócio”, declarou Amanda, que, além de empresária, mãe e digital influencer com mais de 7 mil seguidores no Instagram em seu perfil pessoal, e mais de 34 mil no perfil de sua loja.

Imagem 2: Amanda Alves em uma de suas lojas, entrevista em 28/10/2020.     Fotografia: Jordan Navegantes. 

Amanda e Raíssa fazem parte das 9,3 milhões de mulheres que estão à frente de negócios. Em 2018, mulheres empreendedoras eram 34% dos “donos de negócio”, segundo dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), realizada pelo IBGE.

Essas, são parte da história de duas mulheres que, mesmo diante de barreiras econômicas e sociais, encontraram novos caminhos para se reinventar profissionalmente. Raissa e Amanda são exemplos sobre o empreendedorismo feminino ser, além de uma realização pessoal, uma ação de empoderamento, que incentiva outras mulheres a conquistar o seu espaço e visibilidade para debater questões de gênero que cerca o mundo dos negócios.

O período pandêmico atual tem sido marcado por vivências como essas, de buscas por transformações. Transformações pessoais; transformações no âmbito do trabalho; transformações nas nossas comunicações.

Quando a covid-19 chegou no Brasil, você, por algum momento imaginou que veria profissionais da fotografia fazendo ensaios à distância? E passou pela sua cabeça que pequenas empresas como lojas de roupas atingiriam um faturamento alto mesmo com as portas físicas fechadas? A reflexão aqui não se trata de naturalizar dificuldades, mas sim, de mostrar que, mesmo diante de diversos cenários de caos, medos e perdas, foi possível “renascer”.

As transformações nos processos comunicacionais transpassam por diversas esferas sociais. Para Amanda Alves e Raíssa Lisboa, um momento de lutar pelos sonhos e pela profissão. Tempo de fortalecimento.

Leia, abaixo. um trecho do texto escrito por Amanda Alves, sobre a inauguração da segunda loja física dela:

Imagem 3: Amanda Alves em entrevista realizadas no dia 28/10/2020.      Fotografia: Jordan Navegantes. 

Tudo foi construído aos poucos, passei quase 2 anos somente no online e então veio a tão sonhada loja física”, publicou Amanda, em seu Instagram pessoal – sobre a inauguração de sua segunda loja física, em Setembro de 2020.

Assista esta e outras entrevistas no documentário “Cores de uma pandemia”, no link: https://www.youtube.com/watch?v=icMmm5LJu2w.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.